quarta-feira

Insônia...

Não tenho grandes arrependimentos na vida, não tenho aquela sensação de que tive filho cedo (ou tarde), de que aproveitei pouco a vida etc e etc. O que as vezes me incomoda são algumas coisas que eu não entendo. Atitudes, as vezes minhas, as vezes não. Fica aquela sensação de "deus, por que isso acabou assim?".

Um pouco antes de eu vir embora de Porto Alegre, tive um mal entendido com uma amiga querida. Acho que na ocasião precisávamos de coisas muito diferentes. Não soubemos nos entender... Ela mudou de cidade, eu também. Eu morria de saudade, queria participar algumas coisas da minha vida a ela. Mas fiquei no silêncio por muito tempo, até que um dia ela me adicionou no facebook e eu consegui escrever "que saudade de ti". Tirei um peso de mim.

Minha mãe me ligou ontem de madrugada pra contar que o marido de uma senhora que trabalha há anos pra minha família morreu. Uma parada cardíaca. Depois de meses de tratamento pra curar um problema na perna, quando todos eles comemoravam a recuperação. Pum! Um parada cardíaca. Somem a esse acontecimento uma tpm daquelas, a saudade do meu Zac e eu me pego tentando entender o mundo e absolutamente melancólica.

Leio sempre o blog de uma garota lá de Porto Alegre. Ensaiamos uma amizade. Sabe quando tu gosta de alguém de graça? No meio de todos os meus amigos parecia que só eu me matava pra pagar contas, tinha um filho nos braços... E de repente eu dei de cara com alguém numa situação muito parecida com a minha. Lembro que na última vez que nos falamos ela me mandou um e-mail em um dia complicado pra mim. Não sei se minha resposta pareceu grosseira (não foi a minha intenção), só sei que depois daquilo passei por ela e nós nunca mais nos falamos, aliás, chegamos ao ridículo de uma fingir que não conhecia a outra.

Eu sou bichinho muito esquisito, sabe? Meus amigos freqüentam a minha casa. Meus amigos sabem da minha vida. Meus amigos de verdade são poucos (não tão poucos, por que a vida tratou de nos espalhar), por que eu não tenho amigo de festa, nem amigo de bar. Não tenho colegas. Aliás, até  minha família, apesar dos números reais me desmentirem, é muito pequena. O que eu considero família é minúsculo. Finjo bem, mas sou muito tímida. E tem que ter empatia, sabe? Tem que bater o santo.

Mas ontem, quando a mãe me contou que esse senhor que tinha 50 anos e eu vi duas ou três vezes na vida, morreu. Confesso que eu dei uma balançada. Pensei na esposa dele, que limpa a casa da minha mãe e a minha casa toda a semana, e que tem um amor tão grande pelo meu filho...  Pensei nas pessoas que saíram da minha vida. E em coisas que eu deveria ter dito e nunca falei.

A verdade é que passa tão rápido e a gente fica aqui, de cara feia, nos prestando a pequenezas, achando que a grama do outro é mais verde e  fazendo hora extra pra trocar de carro.

4 comentários:

Vica 24.9.10  

Escreveste verdades. Gostei muito do post. Bjs

Karen 25.9.10  

:) às vezes eu olho pra ti, pelo que tu fala da tua vida, enfim, e tento me espelhar, mesmo sabendo que a minha vida não é tão horrível assim, e que a tua não é tão maravilhosa. É só vida, de um ângulo diferente. É bom a gente cair na real de vez em quando.
Juro q quando eu li aquilo de fingir que não se conhecem eu achei que fosse eu, pq eu tenho mania de não olhar pro lado, portanto não vejo ninguém...

Talula 25.9.10  

Era um garota que morava pertinho da minha casa, Karen. E não foi descuido, paramos de nos cumprimentar mesmo.
;)

Bichinha 7.10.10  

Entrei em seu blog sem querer mas foi fácil me ver nas suas palavras nos 2 primeiros parágrafos. Fiquei com a sensação que afinal não serei assim tão estranha, mas sim diferente. Gosto de viver a minha vida e dou valor ao que conquistei e se algum amigo não souber entender o lugar que ocupa na minha vida e entender que quando se tem filhos a vida muda mesmo e não me digam que não, então paciência. Quem gostar de mim me aceita como sou, eu sou feliz com o amor de minhas filhas e do meu marido. Amigos hoje não sei dizer se tenho, a vida foi-me apenas proporcionando encontros com pessoas que me ensinaram e com quem eu aprendi.
Adorei o seu blog, as fotos, as comidas e as cores, simples e muito bonito, parabéns.

Seguidores





Voltar ao TOPO.

  Para reproduzir texto, imagem ou qualquer outra criação intelectual de Laptop na Cozinha, é necessária

  autorização prévia, que deve ser solicitada pelo e-mail. Não basta citar a fonte ou dar créditos.


  © 2010-2012 Laptop na Cozinha. Todos os direitos reservados.