sábado

Um ano longe de Porto Alegre


Hoje completa um ano que estamos vivendo aqui em Santa Cruz. Mudar pra cá foi a decisão mais difícil da minha vida. Amo Porto Alegre, conheço cada uma daquelas ruazinhas da Cidade Baixa, tenho relações estreitas com pessoas que ainda vivem lá. Tenho saudade do Mercado Publico, da Redenção, de cozinhar com a Rafaela, de trocar confidências com a Livia, da Rita e da Janaina, vizinhas que viram o meu filho crescer. Sinto saudade também de pessoas que não estão mais lá, mas que eu não consigo dissociar... Da Bib's, que sempre vai ser muito mais que uma amiga e que me lembra uma Porto Alegre tão divertida, da Tati e de tê-la tão perto quando tudo mudou de um jeito tão assustador que eu já não sabia lidar comigo mesma.

Fui muito feliz em Porto Alegre, do mesmo jeito que eu fui muito feliz no Rio. Passei todos as porcarias possíveis e as não possíveis em Porto Alegre. As vezes eu olho pra traz e penso "Deus, como eu aguentei?". Aguentei por que eu tinha um filho e quando tu és responsável por alguém tu não pode te dar o luxo de abandonar o barco. E o Rio... o Rio me fez mais leve, me ensinou que família são as pessoas que a gente escolhe ter por perto e que as aparências, na maioria das vezes, enganam.

A dois meses, eu e meu marido tivemos uma conversa muito séria sobre o que nós queríamos da nossa vida, quem nós queríamos na nossa vida e o que nós iríamos fazer a respeito disso. Desde então parece que as coisas foram se encaixando. Segunda-feira a minha mãe se muda pra uma casa na frente do nosso prédio. Vicente está de férias e eu tenho quebrado a cabeça pensando onde ele estudará no ano que vem. Meu marido ama essa cidade e eu estou aprendendo a amar. Mas Santa Cruz, essa cidadezinha que já me desagradou tanto, me deu uma coisa que vale demais pra mim, autonomia. Ser literalmente dono da própria vida. Sempre dei liberdade pra que as pessoas achassem isso e aquilo. Agora acabou e eu sou infinitamente mais feliz assim.

A vida no interior tem outro ritmo. As conversas são outras e as preocupações também.Gosto de ter tempo. Gosto de cuidar da minha horta, de largar meu filho pra correr na praça, ser cordial com os vizinhos, conseguir planejar os meus dias... E se em algum momento os dreads do Isac e as minhas tatuagens assustaram, com o tempo as pessoas se dão conta que isso são só detalhes.

2010 foi um ano muito legal. 2011 vai ser incrível.

4 comentários:

Jotta e Rosley 18.12.10  

Oi Talula, vimos um comentário teu no Panelaterapia e viemos dar uma volta no teu blog. Gostamos de tudo! Inclusive do comentário, pois moramos em Santa Maria, somos "vizinhos"!
Estamos te seguindo e vamos colocar o link na lateral do nosso blog: http://cozinhandocomrosleyejotta.blogspot.com/ Abraços!

Filipa 20.12.10  

Olá! Gostei muito do seu texto! Realmente é preciso saber contornar os obstáculos que nos aparecem na vida com entusiasmo e você está fazendo isso muito bem! Um beijinho e votos de um Santo Natal!

claudiogonz 20.12.10  

Meudeusdocéu, que árvore linda é essa! Espero que seja em Santa Maria. Árvores com frutos é uma das das coisas boas do interior que sinto falta morando na cidade grande. Um abraço. Gostei muito do seu blog. Vou visitar sempre.

Talula 20.12.10  

É na casa do meu pai, em Santa Cruz.
:)

Seguidores





Voltar ao TOPO.

  Para reproduzir texto, imagem ou qualquer outra criação intelectual de Laptop na Cozinha, é necessária

  autorização prévia, que deve ser solicitada pelo e-mail. Não basta citar a fonte ou dar créditos.


  © 2010-2012 Laptop na Cozinha. Todos os direitos reservados.